center


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

O que eu vou ser quando crescer?

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Desde pequenos escutamos aquela pergunta: O que você quer ser quando crescer? E como a mente de uma criança é cheia de fantasias e sonhos, surgem profissões como astronauta, bailarina, professor, ator, jogador de futebol, médico e agora temos até youtuber.
Assim que saímos do ensino médio, ficamos eufóricos e ao mesmo tempo amedrontados com essa mesma pergunta, só que agora perguntamos a nós mesmos: E agora? O que eu vou ser quando crescer? Acho que essa pergunta, no fundo, nunca deixa de existir, mesmo quando estamos mais velhos. 
Achar uma profissão que a gente realmente gosta nunca será uma tarefa fácil. É claro que algumas pessoas já escolhem o que querem ser desde pequenas, mas nem todos tem a facilidade para tomar essa decisão. Acredito que para definir que caminho seguir, você tem que se conhecer melhor, saber do que gosta e do que não gosta e quais são suas habilidades.
E se por um acaso você escolher trilhar um caminho, não significa que deve segui-lo para sempre. As coisas mudam muito rápido, assim como as pessoas e principalmente o mercado de trabalho.
De qualquer maneira, acabamos escolhendo o que relativamente gostamos e partimos para um curso de graduação. Usamos todo o nosso potencial entre trabalho e estudos e nos formamos. E aí volta a pergunta: E agora? O que eu vou ser quando crescer? 
Nessa fase, já estamos um pouco mais maduros, mergulhamos no mercado de trabalho cheio de opções, porém, muitas vezes, acabamos fazendo algo totalmente diferente do que passamos quatro, cinco ou até mesmo seis anos estudando. Isso é uma coisa ruim? Eu digo que não, muito pelo contrário, é claro que às vezes é frustrante, mas pensando por outro lado, é assim que você vai aprender a fazer coisas diferentes e novas, que irão se agregar ao seu currículo, te ajudando a fazer network e também fazer com que você seja um profissional muito mais completo, competente e de mente aberta.
Cada etapa que passamos acontece por algum motivo, independente de qual seja ele. O importante é pensar que sempre que voltarmos à pergunta: E agora? O que eu vou ser quando crescer? É não desistir e sim persistir confiando que você pode tudo se acreditar em si mesmo. Afinal, um profissional que trabalha de bem com a vida rende muito mais e se sente realizado.
Escrito por: Nathalia Vaccaro  


Nenhum comentário:

Postar um comentário